18 dezembro 2009

Cirurgia ou lipoaspiração?

Pelo amor de Deus, eu não quero usar nada nem ninguém, nem falar do que não sei, nem procurar culpados, nem acusar ou apontar pessoas, mas ninguém está percebendo que toda essa busca insana pela estética ideal é muito menos lipo-as e muito mais piração?

Uma coisa é saúde outra é obsessão. O mundo pirou, enlouqueceu. Hoje, Deus é a auto-imagem.Religião é dieta.Fé, só na estética.Ritual é malhação.

Amor é cafona, sinceridade é careta, pudor é ridículo, sentimento é bobagem.Gordura é pecado mortal.Ruga é contravenção.Roubar pode, envelhecer não.Estria é caso de polícia.Celulite é falta de educação. Filho da puta bem sucedido é exemplo de sucesso.

A máxima moderna é uma só: pagando bem, que mal tem?A sociedade consumidora, a que tem dinheiro, a que produz, não pensa em mais nada além da imagem, imagem, imagem.Imagem, estética, medidas, beleza.Nada mais importa.Não importam os sentimentos, não importa a cultura, a sabedoria, o relacionamento, a amizade, a ajuda, nada mais importa. Não importa o outro, o coletivo.

Jovens não tem mais fé, nem idealismo, nem posição política.Adultos perdem o senso em busca da juventude fabricada. Ok, eu também quero me sentir bem, quero caber nas roupas, quero ficar legal, quero caminhar correr, viver muito, ter uma aparência legal mas...Uma sociedade de adolescentes anoréxicas e bulímicas, de jovens lipoaspirados, turbinados aos vinte anos não é natural. Não é, não pode ser. Que as pessoas discutam o assunto.

Que alguém acorde.Que o mundo mude.Que eu me acalme.Que o amor sobreviva.

' Cuide bem do seu amor, seja ele quem for '

(Herbert Viana)

01 dezembro 2009

Secas palavras

Estive pensando.... (e talvez seja o que eu mais faça).
Realmente a melancolia faz dos poetas os melhores.

Não estou falando de algo ruim, apenas de algo, digamos, diferente. A melancolia colore o mundo de cinza. Tudo. As pessoas, o parque, a praia e até o cachorro da vizinha. Os vinhos, na melancolia, não tem mais o mesmo gosto, nem a mesma cor. A cerveja talvez continue a mesma. Mas, assim, de longe, depois de uns dois ou três copos.

Os amigos, na melancolia, parecem ter ido embora. E ralvez tenham ido mesmo. Não são balões que podemos amarrar em nós mesmos e segurá-los, até que estourem por não aguentar mais ouvir tanta asneira,

A melancolia. Só ela é maior que o luto.
A melancolica não é só perda, é perda com P maiúsculo, de perdido mesmo.

Mas quer saber o que há de bom na melancolia? É com ela que você caminha na escuridão. E é só quando você está na escuridão que consegue enxergar a luz.

10 novembro 2009

Terra do Nunca


Foi num blog aí, por aí mesmo, que li: "Terra do Nunca". Por um instante, apenas um instante, senti algo estranho, uma vontade, um pensamento.


Lembrei das vezes que falei da "Terra do Nunca" assim mesmo, inocentemente, acreditando piamente que, em algum lugar, em algum lugar mesmo, talvez num mundinho assim, paralelo, ela existisse.


Isso dava fôlego. Fôlego para continuar uma vidinha infantil na qual a maior responsabilidade e enorme preocupação era fugir da bronca pela última bagunça.


E agora também dá fôlego. Nào do mesmo jeito. Mas dá. Um fôlego que ás vezes renova as forças pra viver, e dar de cara com as novas e bem diferentes responsabilidades do momento.


Tempo de mudanças. Verdade. Mas mudanças de coisas que, rodam e rodam, e, no fim, permanecem as mesmas. Só que agora, com mudanças. Difícil de entender? Acho que não. Isso não se entende. Se sente.


E alguém me falou: "Boba, terapia é pra sentir, não pra entender". Mas nem de terapia eu tô falando. Tô falando dela, da minha Terra do Nunca, que renova algumas coisas.


E termino com o mesmo dizer que originou essa breve reflexão: há muito não ouso ir lá, nela, na minha Terra do Nunca, Aquela mesmo que sonhávamos enquanto crianças...

07 novembro 2009

Pensamento do Dia

Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas...Que já têm a forma do nosso corpo...E esquecer os nossos caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares...É o tempo da travessia...E se não ousarmos fazê-la...Teremos ficado ... para sempre...À margem de nós mesmos...

(Fernando Pessoa)

31 outubro 2009

Pra melhorar


Algumas vezes me pego pensando no que poderia realmente mudar o mundo. Todos a minha volta já desistiram, e acreditam que as coisas, daqui pra frente, tendem a piorar.

Não sei se não acredito nisso, se sou esperançosa, utópica ou se estou de bom humor. O fato é que faço a minha parte nesse pequeno grande mundo meu. E, se todos fizessem, acredito eu, as coisas e o mundo teriam chance de ser diferente.

Chega de culpar os deuses, os céus ou o inferno (o qual estamos pisando). Não sabemos por qual motivo mas é aqui que viemos parar (Terra), então, definitivamente, é aqui que temos a oportunidade, talvez única, de fazer a diferença.

Diga obrigado várias vezes ao dia. Dê a outra face e não acrdite quando dizem que isto é besteira.

Não faça favores pensando em pedí-los de volta. Não julgue. Ajude.

Esconda seu preconceito, e aceite que ele existe.

Não venha com essa de consciência limpa. Culpa não existe, então não saia por aí procurando culpados pelas coisas que VOCÊ não fez.

Carregue um sorriso no rosto sempre, não é hipocrisia. Você decide com qual flor quer enfeitar seu jardim.

Confie nas pessoas, elas precisam de crédito. Se decepcionou? Confie de novo. Não pelos outros, por você. Acredite na mudança do seu semelhante por mais difícil que essa seja.

Não seja negativista, pessimista. Nem otimista. Seja realista, justo, sincero (consigo e com os outros). Esteja onde deve estar, fazendo o que gosta, quer e deve fazer. Assim não deixará nada incompleto.

No mais, viva. E não leia isso achando que é utopia. Sonhe sempre. Sonhos que ainda não foram tentados não devem ser lamentados.

18 outubro 2009

Pensamento do Dia


"Falam-se tanto de deixar um planeta melhor para nossos filhos. Mas se esquecem de deixar melhores filhos para o nosso planeta".

17 outubro 2009

Escolhas

Escolhas sempre implicam em perdas.
Ao escolher algo, você, automaticamente, não escolhe o resto, todo o resto.
Talvez more aí o conflito de nossas terríveis e avassaladoras escolhas.

12 outubro 2009

Felicidade?

Felicidade é muito relativa. Com certeza.

Muitos já tentaram definí-la, mas enquanto não pararmos para, de fato e simplesmente, sentí-la, não chegaremos a lugar algum.

Pra mim felicidade tem alguns nomes.... E alguns momentos...

É abraçar apertado a minha mãe.... É rir das maluquices do meu pai... É brigar por ciúmes com a irmã do meio e manipular a mais nova....

É ir ao clube com o amor da minha vida... É sentir ele me segurando na piscina.... E sentir felicidade quando ele cuida de mim.... É querer estar com ele sempre...

É ir pra facul e rever os verdadeiros amigos....

É sair por aí, tomando um vinho barato sentado em algum meio fio, compartilhando as dores mais bizarras da vida, chorar um pouco, rir muito, tirar fotos bestas e estar com os velhos, eternos e verdadeiros amigos...

É mostrar a lua pra alguém, demostrando que ainda se tem esperança...

É chegar em casa e abraçar meu cachorro (mesmo ele me arranhando toda)...

É sair sem ter que fazer nada....

É enfrentar o medo de subir na garupa da moto... Só pra agradar seu amor!!! hahah

É olhar pra vida e saber que posso mais, ainda mais, e perceber que a cada dia ela me presenteia com a felicidade que eu escolher!!!

A todos que participam da minha felicidade!!!!!

27 setembro 2009

Cansada

De meias palavras.
De vou mudar e nunca muda.
Cansada de acordar cedo todos os dias.
De ir trabalhar.
De voltar.
E de no fim não fazer nada.
Cansada das promessas não cumpridas.
Das palavras não ditas.
Das desculpas esfarrapadas.
Cansada de esperar sempre com um sorriso no rosto.
De ser Madre Tereza de Calcutá.
De sempre perdoar.
Cansada de ser a única que preocupa.
Cansada do pó compacto que não tapam mais as lágrimas.
Do batom que não tampa a vergonha na cara.
Cansada de promessas de paz falsas.
De armas descarregadas.
E das armas que ferem mais.
Cansada de tudo, de todos, e de nada.
De roupas amarrotadas.
E do vento, que não quer mais soprar (e que espera outro fazer algo em seu lugar).
Cansada do não feito. Do não dito. Do sentido.
Do sentido que a vida tem e do que as pessoas querem dar.

25 setembro 2009

Eu não acredito mais

Seu fantasma ainda me assombra...
Eu não acredito em tantas coisas.
O vento não sopra mais pro lado de lá.
O sono já não é mais meu melhor amigo, e a noite, só eu sei como é fria.

Ás vezes me sinto cansada... desanimada... triste... incapaz...
Quando é que tudo vai acabar?
Quando vou poder começar de novo sem ter que estabelecer referências de uma vida?
Sem as pessoas me pararem na rua e me darem receitas prontas de como viver a vida?

Não acredito mais em nada...
Não nesse mundo egosíta.... Não nesse povo egocêntrico....
Não no que falam por aí....

Nao acredito mais na essência dqueles que dizem buscar a verdade....

Enquanto isso sopro meu próprio vento.... Sozinha..... Esperando o vendo deixar de soprar só pro lado de lá....

15 setembro 2009

Se eu fizesse falta...

"Eu teria ido a tantos lugares se pudesse... Mas em nenhum deles eu fiz falta."

Sobre Ser...


O céu escuro
Não tampa
Não esconde
As lágrimas

Elas caem
Cada vez mais
Insistentemente
Sem dó

Mas com dor
Uma dor de ser

Dor de ser quem não quis
Dor de ser quem eu quero
Dor de escolhas perdidas
Dor de perdas escolhidas

No fundo Frida
Não precisa de pés
Porque em nossa vida
Mais voamos

Mais pairamos em nossos sonhos
Que em nossas medíocres vidas
Mais buscamos aquilo
Que não podemos ter
E no fim
Tínhamos a todo tempo.

Sem saber...

13 setembro 2009

" PARA QUE SERVE UMA RELAÇÃO? "

(Drauzio Varela )

Uma relação tem que servir para você se sentir 100% à
vontade com outra
pessoa, à vontade para concordar com ela e discordar
dela, para ter sexo
sem não-me-toques ou para cair no sono logo após o
jantar, pregado.

Uma relação tem que servir para você ter com quem ir
ao cinema de mãos
dadas, para ter alguém que instale o som novo enquanto
você prepara uma
omelete, para ter alguém com quem viajar para um país
distante, para ter
alguém com quem ficar em silêncio sem que nenhum dos
dois se incomode
com isso.

Uma relação tem que servir para, às vezes, estimular
você a se produzir,
e,quase sempre, estimular você a ser do jeito que é,de
cara lavada e
bonita a seu modo.

Uma relação tem que servir para um e outro se sentirem
amparados nas
suas inquietações, para ensinar a confiar, a respeitar
as diferenças que há entre as pessoas, e deve servir
para
fazer os dois se divertirem demais, mesmo em casa,
principalmente em casa.

Uma relação tem que servir para cobrir as despesas um
do outro num
momento de aperto, e cobrir as dores um do outro num
momento de melancolia, e
cobrirem o corpo um do outro quando o cobertor cair.

Uma relação tem que servir para um acompanhar o outro
no médico, para um
perdoar as fraquezas do outro, para um abrir a garrafa
de vinho e para o
outro abrir o jogo, e para os dois abrirem-se para o
mundo, cientes de
que o mundo não se resume aos dois.

Se entendêssemos assim, não haveria tantas pessoas
sozinhas! "

05 setembro 2009

E sobre as atitudes alheias

Bom, e sem querer ser pretenciosa, quero deixar de esperar tudo das pessoas.
Não quero mais alimentar expectativas achando que as pessoas são seres inutilmente previsíveis. Quero ser mais que isso.
Quero poder esperar das pessoas apenas aquilo que elas tem a me dar, simplesmente.
Não quero perder tempo esperando alguém que pode não chegar. Dessa forma, se chegar, saio ganhando. Me surpreende e caso não chegue, não sofro.
E se penso só em mim? Egoísta? Claro que não.
Devíamos ser assim e diminuir a ansiedade de termos que fritar nossos meio milhões de neurônios para tentar adivinhar a resposta que alguém dará no momento de uma discussão ou de uma conversa. Ah se os espelhos de banheiro falassem... Eles que são donos das maiores confidências... E dos maiores ensaios de pergunta-resposta.
Pessoas não foram feitas para serem previsíveis, para agirem como robôs ou para dizerem aquela frase que você quer escutar. Foram feitas para chorar, sorrir, falar verdades que dóem e depois pedir desculpas.
Foram feitas para fazer sofrer pelo simples fato de serem elas, essencial à nossa vida. Foram feitas para não esperarem nada, mas doarem tudo.

Sejamos assim, e esqueçamos das vãs formalidades do nosso mesquinho cotidiano.

(Um dia chegarei lá, insistentemente....)

30 agosto 2009

28 agosto 2009

Falando de Vida


E é ficando parada que me movo mais.

Penso que ás vezes estou voando, e descubro que é só o vento em meus cabelos.

Mas no fim, também sei que várias coisas me fazem voar mesmo estando com os pés no chão.

Quando você me toca, quando fala susurrando em meu ouvido... Quando me chama dos apelidos mais loucos e sem sentido que já ouvi.

Quando desperta minha fúria fazendo coisas que eu não gosto.

Quando me liga e do outro lado eu ouço essa voz linda me chamando de amor.

Se é isso que é amar? Não sei... Mas se todos pudessem experimentar, seria o melhor remédio contra todos os males...

Nem pensei que fosse conseguir sentir isso... O medo assombra ás vezes...

Mas a coragem de viver cada momento é maior, e me faz perceber que não deixamos de viver quando sofremos, mas quando deixamos de viver por medo de sofrer.


Então... Que eu sofra, mas tenha o prazer de dizer que vivi, plenamente.

18 agosto 2009

Pensamento do Dia

"Quando o jogo de xadrez termina, o rei e o peão são colocados na mesma caixa."


Pense nisso....

08 agosto 2009

Como escultura

Muitas vezes nem sei se faço parte mesmo desse mundo. Ou se é ele quem faz parte de mim.
Tem dias em que meus pensamentos vão a um lugar estranho, solitário, onde só eu consigo chegar.
E, pasmem... Estou sóbria. Pelo menos desta vez.
Não que o nosso amigo álcool faça despertar coisas que ás vezes não sei dizer. Mas que agora estou convivendo menos com ele. Não por opção, mas por falta de oportunidade. (haha)
Sério. O último vinho me trouxe eternas alegrias, amizades e companhias. Até mesmo voou sozinho pra um copo desconhecido. Depois, não pude falar. Estava muito ocupada.
Mas, vamos lá. Nesse lugar onde vou posso ver tudo. Não é o olho de Tandera, mas me mostra muita coisa. Nem sempre eu entendo, mas me mostra. Mostra quem eu sou, quem fui e muitas vezes quem vou ser. E nesse último, em várias formas diferentes, como seu eu olhasse e pudesse clicar na que mais me chama a atenção. Parece me mostrar escolhas... Feitas.... E a fazer. no fim, dou de cara comigo mesma, pra variar.
Nesse lugar, fico confusa. Não com as decisões, mas com os sentimentos.
Eles vem e vão. Se mistruam e me deixam magoada. Mas o pior é que não consigo saber de onde vem a mágoa. Do estranho, do distante, do mal resolvido. Da dúvida sabe.
Não do presente. Este realmente tem me presenteado.
Sei lá. Se nem eu sei entender, de que adianta bater à porta de Freud, Klein e Lacan. Estes, coitados, nem dariam conta de tudo. Aliás, eu tenho que dar.
Bem, quando eu descobrir o que se passa... talvez...
Enquanto isso, fico eu aqui, servindo de escultura pra um tempo que não passa.
Tudo bem, até as esculturas tem lá seus grandes valores....

29 julho 2009

E pra não dizer que não falei de flores...


Por que ás vezese tão difícil escrever algo?
Talvez seu inconsciente não esteja, de fato, a vontade para pensar, para externalizar tudo aquilo o que você quer ouvir.

Talvez tem tantas palavras que você não consegue organizar.

Talvez, simples e talvez, você esteja com a cabeça vazia.

E ás vezes tenho que acrditar no ócio criativo. Então, lá vamos nós.

Em inúmeros surtos e devaneiso cheguei a pensar...

Num mundo em que não falam mal dos outros...

Num mundo em que falar "oi" não dói.
Num mundo em q ue estender a mão é comum.

Num mundo em que ninguém ri da desgraça dos outros.

Num mundo em que adesgraça começa a desaparecer.
Nu mundo onde a comida não perde.

Num mundo onde a água é abundante.

Num mundo onde as pessoas são, de fato, SERES HUMANOS.


Só pensando...

24 julho 2009

Como manter-se jovem...

1. Deixe fora os números que não são essenciais. Isto inclui a idade,o peso e a altura. Deixe que os médicos se preocupem com isso.
2.
Mantenha só os amigos divertidos. Os depressivos puxam para baixo. (Lembre-se disto se for um desses depressivos!)

3.
Aprenda sempre:
Aprenda mais sobre computadores, artes, jardinagem, o que quer que seja. Não deixe que o cérebro se torne preguiçoso. 'Uma mente preguiçosa é oficina do Alemão.' E o nome do Alemão é Alzheimer!
4.
Aprecie mais as pequenas coisas.

5.
Ria muitas vezes, durante muito tempo e alto. Ria até lhe faltar o ar. E se tiver um amigo que o faça rir, passe muito e muito tempo com ele ou ela!

6.
Quando as lágrimas aparecerem, aguente, sofra e ultrapasse. A única pessoa que fica conosco toda a nossa vida somos nós próprios. VIVA enquanto estiver vivo.

7. Rodeie-se das coisas que ama: Quer seja a família, animais, plantas, hobbies, o que quer que seja. O seu lar é o seu refúgio.
8.
Tome cuidado com a sua saúde:
Se é boa, mantenha-a. Se é instável, melhore-a. Se não consegue melhorá-la , procure ajuda.
9.
Não faça viagens de culpa. Faça uma viagem ao centro comercial, até a um país diferente, mas NÃO para onde haja culpa.

10. Diga às pessoas que ama que as ama a cada oportunidade.

08 julho 2009

Pensamento do Dia

"FRACASSO é o jeito de Deus dizer: "Com licença, você está indo na direção errada."

27 junho 2009

Sobre a tal felicidade


E o que é felicidade então?


Para aqueles que responderam: "É não trabalhar nunca mais! É ter dinheiro! É ir onde quiser e quando quiser! É sair! É se divertir!!!" - Todos estão certos....


E para aqueles que responderam: "É ter com quem partilhar as coisas! É ter alguém do seu lado, mesmo para brigar! É ter alguém com que gastar todo o dinheiro (que você ás vezes nem tem). É sair, com alguém. É fazer alguém sorrir! É sorrir junto! É ajudar lguém, sem o menor interessé! É ser sincero! É ser honesto! É viver a vida plenamente!" - Estão igualmente certos.


Não saberia explicar porque tanta coisa triste exista no mundo, mas talvez seja para nos lembrar a todo momento o quanto a felicidade verdadeira é valiosa e o quanto devemos nos esforçar para tê-la. Até porque, acredito eu, que em grande parte, a felicidade não depende dos outros. Mas tão somente de você.


Não. Definitivamente os fatores externos não influenciam na nossa felicidade, se somos maduros e capazes de ser felizes com o que a vida nos dá. Não preciso de muito para ser feliz. Mas tento fazer dos meus dias os mais felizes. Sorrindo, e fazendo as pessoas sorrirem. Quando fazemos os outros sofrerem, seja propositalmente ou não, é uma falha. Mas também um momento de refletir sobre o que realmente eu quero significar para as pessoas.


A felicidade já existia. Passou, acabou. Pensei que tinha a perdido.

E depois percebi que a felicidade bateu a minha porta. Acreditem, nem todos tem essa sorte. Hesitei, mas agarrei. Por que a minha decisão foi a de ser feliz. Sempre.


Always...

25 junho 2009

O Real na Psicose

Mas que mundo?
Mas que existência?
Mas de que forma?
Mas a quem?

O real se perde
No in-mundo, no interior
Na existência de um não existir
E na certeza de uma não ser

Se é real, existe?
Ou se existe é real?
A ordem não importa
Para entender a lógica inexplicável


Só tenha em mente
Que real existe
Não necessariamente
Em nosso mundo material

O real pode ser pra mim
E nem tampouco
A outro, igual

Pode existir aqui
Mas ali
Não se fazer presente

Pode aparecer assim
E desaparecer
Num repente...


by Priscilla Veloso

21 junho 2009

Pensamento do Dia

"Podemos escolher o que semear, mas somos obrigados a colher aquilo de plantamos"

(Provérbio chinês)

16 junho 2009

O que é melancolia afinal?

Não é tristeza, não é saudade,
Não é moleza nem falta de vontade.
Não é emoção, não é sensação
Não é um tormento
Nem tampouco um sentimento.

É um querer acordar quieto
Com vontade de ninguém por perto
É querer ver o vento ventando
A lembrança lembrando
O cachorro passando
O casal namorando.

É sorrir com risada de criança
Na rede, embalar esperanças
O silêncio querer habitar
Calar, vendo a vida passar.

E agora, de uma forma branda,
Ao levantar de um dia na varanda
Me dou conta que a tal melancolia
Foi por hoje minha melhor companhia

Isabella Benicio Tedesco

12 junho 2009

Namorados... Namoradas...



Data banal para os que não conhecem o valor de uma companhia.
Sobre esse dia tão banal, mas tão especial...


Para aqueles que sabem compartilhar um sorriso... Sorrir junto.
Para aqueles que demonstram lágrimas... Sinal de fortaleza.

Para aqueles que entendem o sorriso "amarelo"... E consolam.

Para aqueles que se importam... E consideram.

Para aqueles que estão descobrindo, enfim o que é o amor.


Amor não é único, mas amor é a forma de gostar do outro.
A forma de admirar o outro. A forma de querer sempre junto.
Não ame apensas, ame pra sempre. Ame muitos, ame um de cada vez.
Ame com a alma. não deixe as pessoas privadas de um sentimento tão bonito.

E acima de tudo, ame aquele que te faz a melhor das companhias.
Para ele... Que me entende e está do meu lado... Sempre.... Na estrada comigo.....

09 junho 2009

Ah... Espelho meu...

E o pior é quando o espelho está quebrado.
E não tem ninguém pra repetir que você é a mais bonita.
E não tem ninguém pra falar mil vezes que você é o amor da vida dele.
E não tem mais ninguém pra repetir o quanto sua voz é estonteante.
E de repente ninguém mais te olha nos olhos pra falar as coisas.
Coisas simples, que você precisa ouvir por um segundo pra se sentir melhor.

E de repente, simplesmente, não tem ninguém...
Pra falar nada...
Pra rir de qualquer coisa...
Pra simplismente olhar a lua sem comentar.
Nem todos vêem a lua, isso é fato. E ver, não é enxergar. É vislumbrar, e oferecê-la.
Nem todos.

Nem todos buscam explicação pra tudo. Nem todos dão valores a coisas que aparentemente não tem valores. Talvez aprendam, mas estou cansada de ensinar.

31 maio 2009

Surdos


Pessoas deveriam ser como surdos...

Conversar com as mãos.... tocando e sentindo....

Ouvir com o coração, compreendendo, não julgando.

Estar atento às expressões ocultas nos rostos amigos, prontos para o afago, prontos para ajudar, uma ajuda exímia, uma ajuda inocente, uma ajuda sincera.


Pessoas deveriam ser como surdos...

Sentir com a alma, ouvir com a vida.

Surdos também pensam... Surdos também ouvem... Surdos também sentem.... Surdos também vivem.


E, muitas vezes, surdos são mais gente do que nós.

Pense nisso!

23 maio 2009

14 maio 2009

Nem sei o que pensar...
Nem sei o que estou sentindo....
Raiva talvez. Indecisão. Impaciência. Carência. Solidão.
Ás vezes acredito em missões, em destino. Algumas pessoas mesmo, parecem ter nascido pra certas coisas das quais não podem fugir.
Então, o que devemos fazer nesse tipo de situação??? Fingir de árvore? Abraçar o mundo até arrebentar os braços? Escutar tudo o que dizem ou não escutar ninguém? O povo nem sabe o qe diz. O povo nem sabe o que os outros sentem mas se acham no direito de opinar sobre coisas das quais desconhecem e as quais nunca viveram.
A melancolia não ataca pelos fatos, mas acomete pelas palavras. Penso, na minha sutil ignorância que feliz do surdo, que não está fadado a ouvir tanta besteira que sai da boca humana. Feliz do cego que não tem que olhar pra expressão falsamente angelical das pessoas. Se elas não conhecem verdadeiramente seu íntimo, porque acham que podem dizer algo sobre a sua vida? Penso que as pessoas seriam, no mínimo, menos tristes e perturbadas se se preocupassem com suas próprias tristezas, não com as dos outros.
Esse é o meu destino. Já aceitei (e adiantaria se eu não aceitasse?)
Alone... Crying....

08 maio 2009

I Promisse You

-Você é minha princesa.
-Sério?
-Nunca falei tão sério em toda a minha vida.
-Então vamos fugir?
-Sempre. Pra qualquer lugar.
-Estará sempre comigo?
-Sempre. Agora tenho pra quem voltar. Pra você sempre voltarei.
-Promete?
-Prometo.
-Então agora eu acredito. Não pela promessa, mas pelo brilho de seus olhos.
-Pelo brilho de meus olhos? São seu reflexo.
(silêncio)
-Eu te amo.
-Tão rápido?
-Nem consigo explicar.
-Assim que eu gosto. Se não tem explicação para amar, é amor sincero. Também te amo. Por me fazer o que sou, nesse momento.
(sorriso)
-Então volta. Você tá fazendo falta...

07 maio 2009

Nostálgica

Quando não temoas nada no que pensar, só pensamos besteira.
E a vida bem que colabora para que nossa mente só funcione assim.
Mente vazia, oficina do diabo. Mentira. Algumas mentes ocupadas e cheias também o são.
E ainda há alguns ócios criativos....
Ah... Mas são raros.
São raros como é raro compreender o outro.
Difícil? Eu diria quase impossível. Então pra quê tentamos incansavelmente?
Adoramos fazer coisas em vão. E ainda justificamos com aquela tradicional frase: "Pelo menos não me arrependerei de não ter tentado!". Que nada. Essa é a voz da covardia falando. Só pra não admitir que você não aguentou e estava lá de novo, tentando o impossível. Se bem, que o impossível é o possível que ainda não foi tentado. Ok. Então amanhã vou ganhar na loteria.

Quem dera as coisas pudessem ser tão simples e banais.
(Pelo menos a vida não o é).

06 maio 2009

É o fim

Nem sempre é o começo.... E nem sempre é o fim também....
Às veZes achamos que estamos começando algo que já está terminado. Fadado ao extermínio.
Logo após terminamos coisas que nem começaram. De fato, terminamos coisas que às vezes nem eram para terem começado.
Complexo de mais para pensar. Então a regra ainda continua de pé... Don`t tink.
Ainda assim meus neurônios não me dão sossego. Valha-me ma quantidade de dopamina ou cerotonina. Nào faz diferença, pois não entendo mais nada.
não sei mais o que é pra eu fazer e, consequentem,ente, o que era pra eu ter realmente feito.
não sei também o que não devo fazer....
Não sei se troquei as bolas e se acabei fazendo o que não devia... Ou se o mundo me'smo é que está fazendo algo que não deva comigo... Ou me fazendo acreditar no que não deveria,,,
E tanta complicáçã pra no fim acabar sendo tudo a mesma coisa...
Ao menos nesse meu mundo ou sou o que eu quero... Sem medo.

30 abril 2009

Abril acabou... Mas eu não...


Nem sabia que título dar ao que iria escrever. Mas ás vezes títulos são desnecessários pra certas coisas que queremos dizer.
Abril chega ao fim, ou ao começo, não sei. Quem foi que disse que dia 30 tinha que ser o último e não o primeiro dia?
Quem foi que disse que você tem que chorar quando as coisas terminam? Ou quando elas nem começam direito?
O fato é que estamos sempre atribuindo coisas a outras coisas, e aí, tudo se torna meramente complicado. Isso faz com que a regra geral Don`t think não tenha espaço para se fazer valer.
No final das contas nem sei se o que tô bebendo é realmente cerveja, ás vezes seja apenas o brilho dos teus olhos indo para algum lugar desconhecido.
Ou seja apenas o sussurro de uma verdade ainda não dita.É é por causa dessas mal ditas verdades não ditas é que talvez achemos que o dia 30 realmente seja o último.

No final temos certeza de uma coisa: de que, de fato, não temos certeza de nada.

29 abril 2009

E quando ela acorda (parte II)

Começou sua árdua caminhada para o trabalho, observando como a vida pode ser tão linda e tão desgastante ao mesmo tempo. Sentia-se feliz por estar viva e poder apreciar a beleza do parque por onde passava todos os dias e as crianças que ali brincavam. Mas, após três quarteirões, quando cruzava a esquina do orquidário, e se deparava frente à pastelaria do mercado municipal, já não sabia mais como se sentia. Talvez delicada e deslumbrante tal como uma orquídea, ou asquerosa e suja tal como o mercado.
Depois de alguns minutos de caminhada - naquele andar de quem está indo, mas não quer chegar - chega ao lugar de seu martírio, mas sustento. Trabalha na locadora do shopping e com devoção lê diariamente a sinopse dos filmes recém comprados ou que ali estão por longo tempo, esquecidos na estante. Com sua mão que sempre tateia antes de ter, escolhe cinco filmes que mais lhe chamara atenção e os coloca em cima do balcão.
Entre uma pausa e outra no atendimento aos clientes, volta sua atenção repleta de curiosidade para os filmes estendidos no balcão e, com seu olhar seletivo e certeiro, escolhe apenas um e logo começa a imaginar sua vida, no enredo daquela sinopse. Lembrando que, sendo aquele filme baseado em fatos reais, quem sabe não seria o fato real parecido com a sua própria vida, relatada em um filme?
Ali estava com as mãos suadas, assentada, porém desconfortável na cadeira, perdida sabe-se lá em qual horizonte de si mesma, quando toca o telefone. Sem manifestar a inquietude de seu coração, levanta e se direciona calmamente para atender, na intenção de dar um basta naquele aparelho escandaloso. Ao escutar a voz que do outro lado lhe falara, percebe ser de alguém conhecido, mas não consegue de imediato fazer as devidas associações.
Era um antigo romance que esteve passeando pelo shopping e a viu na locadora. Ligou como quem não quer nada, com o intuito de saber se havia chegado um filme no qual estava ansioso para ver, e no decorrer da conversa - também como quem não quer nada - a convidou para uma cessão de cinema em sua casa.
Ela foi tomada por uma incrível sensação de vitória, pois esperava há anos por qualquer convite daquele rapaz. Porém, logo após chegar em casa, e tomar um banho demorado, lhe ocorreu um horrível pensamento, de que talvez, as pessoas não se apaixonam por uma outra pessoa, mas sim por uma invenção.
Vestiu-se com a peça que julgava ser sua roupa mais atraente e poderosa do seu armário e perdida em meio a tantas dúvidas sobre o que realmente desejaria para aquela noite, optou por assistir sozinha, ao filme que leu a sinopse naquela tarde.


by Isabela Brunelli
Nosso conto!

28 abril 2009

E quando ela acorda


E ela escovava os cabelos. Com tanta força que pareciam desprender-se da cabeça.
Bem, ás vezes fico confusa se a força era realmente atribuídas aqueles cabelos lisos e compridos. Às vezes acredito que seria algo mais profundo.
De certa forma ela também sabia da profundidade daquela escovação, para cima e para baixo, num ritual quase que místico de movimentos.
Aliás, se arrumar era todo um ritual. Uma verdadeira penúria. Ou um magnífico prazer. Sabe-se lá. Para muitos prazer é penúria e para outros tantos penúria é prazer.
Primeiro a roupa de baixo. Cuidadosamente separada na gaveta, se amarrotar. De cores iguais, sempre combinando com mais algum acessório: brinco, pulseira ou algo assim. Nunca se sabe NE, melhor andar prevenida. (e prevenida inclui avassaladora). Típico de quem sai para arrasar (e arrasar no mais literal sentido da palavra).
A saia pede para ser abaixada, mas ainda assim ela não o faz. Deixa aquele meio vão ente a peça cinza e a blusa cor-de-rosa. Claro, não podia ter outra cor. Assim, um pouco de discrição com uma pitada de audácia chamariam mais a atenção na rua: quietinha ou malvada? Eis a questão que iria assombrar a vida de outros tantos homens naquele dia. Talvez essa era realmente a intenção dela, talvez não.
Os brincos num tom bronze combinavam com sua pele lisa e aparentemente macia. Desciam até a curva do pescoço acentuando esse mero detalhe fatal. De encontro (e na mesma altura) da boca, com aquele batom coberto pelo gloss num tom rosado mas no fundo avermelhado. Outra vez com tom avassalador.
Os sapatos cuidadosamente limpos e brilhosos, sugerindo uma impressão de executiva. Saltos medianos, acentuando as pernas finas mas atraentes.
Ainda assim ela reclama do salto com um leve descascado. Duro ter um pedra ou uma montanha atrapalhando seu mundo perfeccionista.
Na cozinha quase surta: as louças do dia anterior ainda estavam lá, sujas e intactas. A taquicardia volta e sua amiga corre perigo (quase de morrer). Conta até um milhão,m desiste do café e resolve tentar seguir a vida numa boa, apesar da cozinha. Se lembra do cachorro e vai alimentá-lo, até descobrir que ele mordeu seu tênis de trabalho. (de trabalho sim, pois tem um pra caminhada, outro pros esportes radicais, outro pra bicicleta, etc., todos combinando com alguma paixão desiludida). Dá vontade de matá-lo, mas ela mentaliza “ainda não sou uma assassina”. Ainda presume que algo ainda possa acontecer. Mas deixa pra lá. O relógio do celular avisa que existem outras coisas a fazer.
Passa pela sala. Mais um surto: o sofá todo amarrotado, “maxarunfado”, como gostava de descrevê-lo nessas situações. Sorte da casa vazia, que respondia os pensamentos em formas de gritos com ecos que mais pareciam uma discussão. Tudo bem, agora chega aos dois milhões.
Finamente chega à porta da sala, saída para o inferno, como gostava de pensar em algumas situações. Já imaginava a notícia ruim do jornal logo na esquina. Sim, porque segundo ela, o lugar do caos era sempre próximo a onde ela estava. Logo ela se sentia o verdadeiro caos do mundo. Murf, nessa ocasião, era casado com ela. Ela bem havia tentado se separar, mas foram tentativas tão inúteis que resolveu deixar simplesmente de lado.


Fiction (continua)

26 abril 2009

Pensamento do Dia

"No lugar do coração vou pôr um fígado.
Daí, poderei beber mais e me apaixonar menos!"

Só para os que conseguem compreender um surto de raiva.
E para aqueles que pensam que compreendem.
Tá valendo.

23 abril 2009

Devir da Vida



Criar ou reinventar?
Buscar ou criticar?
Surtar ou calar?

Nada é tão belo
Nada é tão singular
Quanto o desejo
Da vida se reinventar

Nada é tão inquietante
Nada é de se calar
Se a pulsão é desejo
Desejo de criar?

Comunicar
Falar
Sorrir
Inventar
Repetir
Imitar

É como uma mímica
de viver e de contar
A arte de inventar a vida
E a vida, "artear".

16 abril 2009

Pensamento do Dia

"Dê a quem você ama asas para voar, raízes para voltar e motivos para ficar..."
Sábio quem se reiventa para preservar o que ama.

14 abril 2009

E por quê não???

E por quê não me deixar ser feliz?
E por quê não dara vazão aos sonhos?
E por que não viver?


Cheguei à conclusão de que a vida não espera você se decidir, pensar a respeito do que irá fazer. Ela apenas deixa as coisas acontecer, e pensar ou não pensar em fazer algo, por si só já se torna uma decisão.


Por isso, meu conselho dessa vez é que ajamos mais e pensemos menos, não que pensar seja ruim, mas que viver é melhor, mais intenso, mais digno de pessoas que nasceram para algo além do mero existir.


Pense nisso e no final, siga a regra: Don`t hink! (com moderação e responsabilidade).


Essa vai para ela..... A loira que completa minha vida! Loka! Loira! Nostálgica! Day.... que vive intensamente e me ensina a cada dia!

11 abril 2009

Pensamento do Dia

Quando quiser perder... intrometa-se.
Quando quiser empatar... vingue-se....
Mas quando quiser ganhar..... Execute a arte de ser feliz!
(Remédio de dor aos inimigos!)

05 abril 2009

Don't think

Saia.
Beba.
Ame.
Sofra.
Chore.
Dê vexame.
Enlouqueça.
Cresça.
Brinque.
Crie.
Invente.
Busque.
Quebre a cara.
Concerte.
Lute.
Desista.
Comece de novo.
Ria.
Dê gargalhadas.
Deprima.
Dê a cara a tapa.
Bata também.
Vá e faça.
Só assim você terá a ligeira impressão de que realmente viveu.

31 março 2009

10 coisas que eu odeio em vocë?


Odeio seu jeito de me olhar... Mas odeio pensar que você não me olha.
Odeio suas palavras.... E odeio não ouví-las.
Odeio você ser tão educado e perfeito.... E odeio não poder (ou saber) decidir.
Odeio sua cara amarrotada de sono. Odeio pensar em acordar sem ela.
Odeio seu orgulho tão parecido com o meu.
Odeio quando você pensa em pegar no meu pé... Odeio quando você some sem dar notícias...
Odeio não saber se te quero e no íntimo te querer tanto....
Odeio tantas coisas em você....
Odeio não conseguiir te odiar tanto....
Odeio não pensar em você.Odeio não saber onde você está....
Quase que me odeio também.
Sei que já passou de dez te odeios.... Ainda assim sou capaz de entender tanto sentimento....
Sei lá... Parei de pensar no que deveria postar e realmente consegui deixar a coisa fluir...
Espero que eu faça o mesmo com a minha vida.

30 março 2009

Pensamento do Dia

"A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina. Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás pra frente. Nós deveríamos morrer primeiro, nos livrar logo disso. Daí viver num asilo, até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo. Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar. Então você trabalha 40 anos até ficar novo o bastante pra poder aproveitar sua aposentadoria. Aí você curte tudo, bebe bastante álcool, faz festas e se prepara para a faculdade.Você vai para o colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade, se torna um bebezinho de colo, volta pro útero da mãe, passa seus últimos nove meses de vida flutuando. E termina tudo com um ótimo orgasmo! Não seria perfeito?"
Indiscutível Charles Chaplin

29 março 2009

Eu, tonta?

Pode ser que tonta eu diga mais (ainda mais?).
Pode ser que tonta eu sinta mais.
Pode ser que tonta eu pense mais (ou menos).
Pode ser que tonta a vida me pareça mais simples.
Pode ser que tonta eu tenha mais coragem...
De dizer o não dito, de ouvir o infalável.
De quebrar a cara e de concertá-la.
De falar o que penso e realmente sentir.
De deixar rolar uma lágrima, ou duas talvez.
Ao contrário do que todos pensam ou dizem, eu tonta, ainda sou eu mesma. Ainda sinto, ainda me chamo (frente ao espelho).
Ainda filosofo, ainda escrevo.
Ainda não tenho erros de poruguês.
Ainda amo.
Ainda ouço.
Ainda fecho os olhos e te encontro.
Ainda recuo. Ainda fujo.
Fujo de você, fujo de mim, fujo da vida.
Covarida? Não, estratégia.
Nem sei ao certo.... Se é ilusão, pensamento, devaneio....
Se é você perto... Se é a minha intuição.
Mas sei que ainda tonta, você vai me olhar nos olhos e me eoncontrar....
E fazer mus olhos se fecharem.... Longe daqui.... Longe da vida que me procura e não quer achar....

I'm back....

27 março 2009

Pensamento do Dia

"É escusado sonhar que se bebe; quando a sede aperta, é preciso acordar para beber."

(Freud)

25 março 2009

Sexo frágil?


Bem, no início tudo parece ligeiramente igual. Ao menos parecido.
Todos nascemos, crescemos e morremos. E esse parece ser o princípio da vida que, supostamente, todos seguimos. Até então, somos iguais. Iguaizinhos.
Brincamos de bola, jogamos queimada, pique-esconde, pega-pega. Uns gostam de escola, outros nem tanto.
De repente se é notada uma ligeira diferença entre, digamos, eu e ele, eu e ela.
Da noite pro dia eles se tornam chatas. Elas malvadas. A guerra que vai durar uma eternidade acaba de começar.
O clube do bolinha parece nojento. O da Luluzinha dá vontade de vomitar.
De cá e de lá. Essa é a regra do momento. Eles nos enchem o "saco", literalemente. Parecem não tomar banho. Elas se perfumam de mais. E usam umas coisas esquisitas penduradas nas orelhas.
Ok. Aceitamos. Somos diferentes.
O momento da raiva da diferença é quando você descobre que eles nem mesntruam. E depois de muita mágoa pelo simplfes fato de tudo parecer ser mais fácil para eles (e realmente o é), a gente acaba aceitando, dolorosamente.
Eles beijam todas e são garanhões. Não fazemos nada e levamos a culpa de tudo.
Eles não tomam banho e se acham lindos. A gente vive numa redoma de vidro e ainda assim somos inseguras.
De chato, ele passa a interessante. Quase que um mal necessário, afinal, temos que nos vingar de alguma forma.
Ele ainda acha que não precisa ser, no mínimo, educado, para nos conquistar. De fato, chega em um ponto em que ele é.
Tudo bem, depois de ter beijado metade da população mundial é o mínimo que pode fazer. Aquele jogo de olhares que arrepia, aquele toque que enlouquece. E aqui não se sabe onde um começa e o outro termina. Ainda na guerra.
Paixões à parte, parece ser algo mais forte. Se casa.
Ele trabalha e acha que já fez tudo. Ela trabalha e ainda cuida da casa.
Ele acha que é obrigação passear com as crianças no fim de semana. Ela acorda todas as noites. E cobre todos os bebês, inclusive ele.
Ele almoça. Ela faz, almoça e ainda lava a louça.
Ela cuida do banheiro. Ele esnoba.
Ela se mantém cheirosa, ele nem tanto.
dicotmoia infinita em que estamos apaixonadamente aprisionados.
No fim, todos querem passar por isso. Por esse sofrimento, por essa guerra.
e o sexo frágil é aquele que se propõe a sofrer por algo que nem sabe explicar ao certo.
Sabe o que definiria isso? Uma lágrima, um sorriso, um toque, uma palavra: AMOR.
E não é amor de carnaval.
É uma guerra infinita. Lacan bem que afirma, que no gozo há a eterna mistura da dor e do prazer. Essa guerra é a prova viva dessas sábias palavras.
Evitar sofrimento? Eu não! Tenho sofrido tanto! Deixa essa filosofia de vida se apregar em mim. Deixa eu me sentir viva, viver, sofrer, quebrar a cara e sair por aí concertando.
Nessa guerra, eu entro de corpo e alma.

08 março 2009

Pensamento do Dia

"Todo o bem que eu puder fazer, toda a ternura que eu puder demonstrar a qualquer ser humano, que eu os faça agora, que não os adie ou esqueça, pois não passarei duas vezes pelo mesmo caminho."

01 março 2009

Quando não se tem o q fazer....

"Diz pra eu ficar muda, faz cara de mistério...."
e quando não se tem nada a dizer.... não se diz nada mesmo...
Nem diz... Ne pensa... Nem quer.... Nem faz....
Surtos imaginários, viés por onde passa a dor de idéia que se diz não doer....
Já ouvi dizer que quando se mentaliza algo, com tanta vontade, acontecde....
Bem.... Ou não sei mentalizar..... Ou não tenho tanta vontade... O fato é que, as coisas que não desejamos ocorrem com mais facilidade....
E ainda me aparece você, pra aumentar meu sofrimento???
Ah... sabe... Cansei....
Cansei de ser boazinha, de ser bonitinha, de ser de vidro....
Cansei de ser a bonequinha do papai...
Por um instante penso em um outro lado da vida que eu ainda não conheço.
Penso no que posso fazer.... No que sou capaz de fazer....
Em tudo o que me aconteceu... Em tudo o que pode me acontecer....
Nos sofrimentos.... Nos devaneios.... Nos pensamentos.... Na vida....
Chego à conclusão de que, onde eu for, por onde eu andar... darei de cara comigo mesmo....
E a bonequinha do papai é o único papel que ainda me resta....
[e quem disse que eu não gosto?]

25 fevereiro 2009

Chorar é humano...

Jesus chorou...
Maria chorou...
O Papa chorou...
Nietzsche chorou...
Até Hitler chorou...
Quem sou eu para resistir à essas catarse sentimental que nos abate em tantos momentos?
Minha mãe chorou...
Até meu pai já chorou...
Minhas irmãs nem se falam....
A questão é que, ou você chora por fora... Ou o choro te arrebate (ainda mais) por dentro.
Chorar é um exercício involuntário ao qual nos entregamos quando não se há muito mais o que se fazer... Aliás, depois de tudo feito.
E aí, nos sobram os temerosos tempos de espera nos quais o choro, único e volúvel, nos faz companhia.
E aí, ainda mais, nos sobram os pensamentos que nos fazem companhia... Sentindo, pensando, julgando, buscando explicações e entendimentos (ás vezes em vão).
Não importa, se escapar do choro, do sofrimento não escapa. Então chore com vontade e aprenda a curtir esse momento seu de catarse. Catarse necessária à sobrevivência sentimental.
Chorar também é uma maneira de sorrir, buscar sorrir.. Pelo menos....

21 fevereiro 2009

Pensamento do Dia

"Você quer ser feliz por um instante? Vingue-se. Você quer ser feliz para sempre? Perdoe."

17 fevereiro 2009

Eu só queria...

Só queria não precisar sentir tanto... e tão frequentemente....
Só queria brincar de não existir.... ou não existir brincando....
Só queria não ter que parar pra pensar.... Nem pensar parando.....
Só queria poder entender o que não se pode explicar... Ou, pelo menos, conseguir explicar o que não se pode entender...
Só queria falar da boca pra fora.... E de fora passar pra dentro....
Só queria acreditar... mesmo desacreditando.... E então recomeçar...
Só queria entender que a vida ás vezes é assim.... E só queria entender que o sofrimento também faz parte...
Mas, no fundo, bem lá no fundo, só queria ter o poder de abarcar o sofrimento dos outros... Pra que só eu, sozinha, quisesse pensar no fundo da dura realidade que a vida pode empregar....
E penso nas ambiguidades que tornam a vida uma facão de dois gumes...
Difícil aceitar... Mas eu só queria, no mínimo, entender, tanta mágoa...

(e quando não se pode explicar o sofrimento alheio) Dor de idéia, que dói e arde sem sangrar.

13 fevereiro 2009

Pensamento do Dia

"E percebemos que o mais difícil é conseguir não enganar a si mesmo."
A vida é uma obra de arte, a qual podemos modificar, refazer e começar de novo.

12 fevereiro 2009

Sem querer dizer que é loucura

Ás vezes vivemos vãos surtos que nos impressionam.
Deixamos pra lá, deixamos de lado. Não queremos dar ouvidos a esse tal de inconsciente que, vira e mexe, tenta nos dizer alguma coisa.
Tolice? Talvez não. Ás vezes tenho medo de saber a verdade que ele quer me contar. É mais cômodo eu acreditar na minha vidinha linda e medíocre, normal até então. Alienada.
Talvez eu fique louca em descobrir o que profundamente eu já sei mais não aceito.
E será que é isso mesmo que o inconsciente faz? Pertuba?
Acredito que não. Há muitas coisas para descobrir... muitas coisas para serem diatas e muitas mais para serem ouvidas.
Coisas que vêm na hora certa, sem que percebamos sua real importância. O corpo fala por nós, então, deixa o inconsciente sair, dar uma voltinha (mas só de vez em quando).
Por quê essa história de que sei de mim é bobagem. A vida é quem sabe de mim...
Freud explica? Coitado, deixa o homem descanasar. Não jogue nele uma respoinsabilidade que é tão somente sua: CONHECER-SE.