10 novembro 2009

Terra do Nunca


Foi num blog aí, por aí mesmo, que li: "Terra do Nunca". Por um instante, apenas um instante, senti algo estranho, uma vontade, um pensamento.


Lembrei das vezes que falei da "Terra do Nunca" assim mesmo, inocentemente, acreditando piamente que, em algum lugar, em algum lugar mesmo, talvez num mundinho assim, paralelo, ela existisse.


Isso dava fôlego. Fôlego para continuar uma vidinha infantil na qual a maior responsabilidade e enorme preocupação era fugir da bronca pela última bagunça.


E agora também dá fôlego. Nào do mesmo jeito. Mas dá. Um fôlego que ás vezes renova as forças pra viver, e dar de cara com as novas e bem diferentes responsabilidades do momento.


Tempo de mudanças. Verdade. Mas mudanças de coisas que, rodam e rodam, e, no fim, permanecem as mesmas. Só que agora, com mudanças. Difícil de entender? Acho que não. Isso não se entende. Se sente.


E alguém me falou: "Boba, terapia é pra sentir, não pra entender". Mas nem de terapia eu tô falando. Tô falando dela, da minha Terra do Nunca, que renova algumas coisas.


E termino com o mesmo dizer que originou essa breve reflexão: há muito não ouso ir lá, nela, na minha Terra do Nunca, Aquela mesmo que sonhávamos enquanto crianças...

3 comentários:

  1. Querida, que bom que lhe proporciono inspiração ás vezes, ficou perfeito seu post, me trouxe mil lembranças... saudades!!!

    ResponderExcluir