29 março 2009

Eu, tonta?

Pode ser que tonta eu diga mais (ainda mais?).
Pode ser que tonta eu sinta mais.
Pode ser que tonta eu pense mais (ou menos).
Pode ser que tonta a vida me pareça mais simples.
Pode ser que tonta eu tenha mais coragem...
De dizer o não dito, de ouvir o infalável.
De quebrar a cara e de concertá-la.
De falar o que penso e realmente sentir.
De deixar rolar uma lágrima, ou duas talvez.
Ao contrário do que todos pensam ou dizem, eu tonta, ainda sou eu mesma. Ainda sinto, ainda me chamo (frente ao espelho).
Ainda filosofo, ainda escrevo.
Ainda não tenho erros de poruguês.
Ainda amo.
Ainda ouço.
Ainda fecho os olhos e te encontro.
Ainda recuo. Ainda fujo.
Fujo de você, fujo de mim, fujo da vida.
Covarida? Não, estratégia.
Nem sei ao certo.... Se é ilusão, pensamento, devaneio....
Se é você perto... Se é a minha intuição.
Mas sei que ainda tonta, você vai me olhar nos olhos e me eoncontrar....
E fazer mus olhos se fecharem.... Longe daqui.... Longe da vida que me procura e não quer achar....

I'm back....

2 comentários:

  1. Uhuuuuu
    adorei o post linda.... vamo beber até morrer!!!! beijooo

    ResponderExcluir